5 relatórios gerenciais que toda empresa deve acompanhar

5 relatórios gerenciais que toda empresa deve acompanhar

Os relatórios gerenciais sempre foram importantes para as empresas, mas agora, com as constantes mudanças no mercado, eles se tornaram essenciais. Entre tantos relatórios, alguns têm um grau de importância maior que outros, dependendo do ramo do negócio.

Considerando as lojas de material de construção, veremos no decorrer do artigo a importância desses documentos, como devem ser elaborados e, por fim, quais são os 5 mais importantes para esse nicho de mercado.

O que são relatórios gerenciais?

Os relatórios gerenciais são documentos que mostram dados importantes para a tomada de decisão de uma empresa. Eles precisam ser objetivos e conter as informações mais relevantes para o atingimento do objetivo de cada empresa.

Quando há excesso de informações, torna-se mais complicada a análise, o que pode até mesmo atrapalhar as estratégias da empresa. Por isso, é preciso ter em mente qual a finalidade do relatório, garantindo assim que apenas dados relevantes serão colhidos para a análise.

Outro ponto crucial é a atualização dos dados, que precisam ser recentes ou de meses específicos, dependendo do objetivo final do relatório. Pense que essas informações vão servir para planejar o futuro da empresa e que qualquer informação equivocada ou desatualizada pode pôr em risco a existência do negócio.

Quais as principais aplicações de um relatório gerencial?

Como foi citado, é preciso ter um objetivo em mente ao criar um relatório. Existem diversos fatores dentro de uma empresa que podem ser analisados. Porém, os mais analisados são a situação financeira e o planejamento orçamentário. Mas também há outros assuntos que podem ser avaliados, como o desempenho da equipe ou de determinado produto ou serviço no mercado.

Assim, é preciso ter em mente o que se quer analisar e, então, criar o relatório. Se precisar criar três ou quatro relatórios por mês para saber como está a sua empresa – seja em termos financeiros, de desempenho, de orçamento para o estoque ou de vendas -, faça isso. Nada de colocar tudo no mesmo documento. O importante é que cada um deles disponibilize informações que vão possibilitar a análise, em vez de dificultá-la.

Como elaborar um relatório gerencial?

Ao criar um relatório gerencial é preciso entender como ele atenderá as necessidades do negócio, subsidiando-o com os dados mais importantes. Para isso, devem ser seguidas algumas etapas, que vão definir a linguagem utilizada, o formato, os dados que ali constarão e assim por diante.

Preparando um passo a passo, falando sobre cada etapa. Confira a seguir.

Objetivo

Como já foi mencionado, é preciso ter um objetivo para criar o relatório. Escolha um e o defina em poucas palavras. Ele precisa ser de fácil compreensão para as outras pessoas que terão acesso ao documento.

Conteúdo

O próximo passo é a definição de quais informações constarão no relatório. Um detalhe crucial nesse momento é colocar apenas as informações essenciais, excluindo aquelas não têm relação com o objetivo e as que são pouco relevantes. Isso porque colocar muitos dados deixa o relatório confuso e de difícil análise, dificultando a tomada de decisão rápida e eficiente.

Formato

O formato se refere a como as informações serão apresentadas no relatório. Para defini-lo, é preciso considerar quem vai ler o documento e quais dados serão analisados.

Por exemplo, um relatório sobre as vendas é mais interessante ser exibido em forma de tabela. Já outro com o foco no financeiro precisa de informações mais completas, estruturadas com tópicos, gráficos e conclusão.

Em qualquer caso, entretanto, o relatório deve ser prático de analisar e de fácil entendimento.

Quais os principais relatórios gerenciais para uma loja de material de construção?

Separamos 5 relatórios gerenciais que uma loja de material de construção precisa acompanhar para ter na ponta do lápis tudo o que precisa para a tomada de decisões.

1. Relatório de fluxo de caixa

Este relatório é muito importante para saber como está a situação do caixa. Mostra todas as entradas e saídas de um determinado período. Assim, o dono saberá se é necessário realizar um empréstimo, criar estratégias de venda ou aproveitar o dinheiro que sobrou para investir como capital de giro ou para capacitação de colaboradores.

2. Relatório de contas a pagar e a receber

A compra de mercadorias para o estoque, o salário dos funcionários e encargos trabalhistas, aluguel, insumos, comissões, entre tantas outras despesas fixas e variáveis precisam constar nesse relatório. Dessa forma, se tem em um só documento tudo o que a loja precisa pagar em cada mês. É necessário especificar datas de vencimento, número de parcelas, valor da parcelas e final, status e datas do pagamento.

Além disso, todas as vendas realizadas também entram nesse relatório como contas a receber, incluindo informações como data, valor da venda, nome do comprador e do vendedor.

Considerando as contas a pagar e a receber, o gerente pode tomar algumas decisões como melhorar o processo de cobrança e repensar as formas de pagamento oferecidas pela loja.

3. Relatório de vendas

O relatório de vendas permite que o gerente da loja saiba se houve crescimento ou queda nas vendas durante um determinado tempo. Com ele, fica mais fácil identificar períodos sazonais, com altas e baixas nas vendas, permitindo que o estabelecimento se prepare adequadamente para esses momentos nos anos seguintes.

Além disso, o documento ajuda a identificar produtos que são mais vendidos e outros que podem ser retirados de comercialização. Se estiver integrado com o relatório de estoque, fica mais fácil gerenciar esse departamento, evitando a falta de produtos nas prateleiras.

4. Relatório contábil

Estar em dia com o fisco é condição essencial para uma empresa. Um relatório contábil traz informações sobre os demonstrativos contábeis e permite acompanhar se todos os impostos estão sendo pagos. Isso simplifica o dia a dia do dono da loja, pois apenas com uma consulta é possível ver a situação da empresa em relação aos seus deveres com o governo.

Algumas empresas unem este relatório com o financeiro, permitindo a exibição de outras informações como a análise de despesas, giro de estoque e outros dados de relevância.

5. Relatório de orçamento empresarial

O objetivo principal é saber como gastar o dinheiro da empresa, de forma a possibilitar mais lucros. Esse relatório apresenta dados como o valor em dinheiro que o estabelecimento tem disponível, as metas estabelecidas e quanto será necessário investir para atingir os objetivos do negócio.

Para os cálculos, o relatório considera geralmente os últimos três meses, projetando as despesas e receitas que a empresa terá no próximo mês, considerando as fontes de renda, possíveis demandas e os custos. Com essas informações, é possível chegar a um valor que poderá ser investido para o crescimento da loja.

Toda empresa precisa analisar seus relatórios gerenciais para ter uma boa administração e conseguir prosperar no seu ramo. Assim, ela consegue analisar o passado e planejar o futuro, tomando decisões para que o negócio cresça ou, pelo menos, não entre em falência. Saber como utilizar os relatórios é essencial para uma boa criação de estratégias.

Esperamos que esse artigo tenha esclarecido as dúvidas existentes sobre o assunto. E se você é dono de uma pequena empresa e quer saber mais sobre contabilidade, acesse nossa matéria sobre como funciona a contabilidade para pequenas empresas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *