7 motivos para adotar a gestão de fornecedores em sua loja

7 motivos para adotar a gestão de fornecedores em sua loja

Independentemente do porte da empresa, é necessário contar com parcerias qualificadas para desenvolver um bom processo, produto ou serviço. Na prática, isso significa adotar gestão de fornecedores, uma atitude que pode trazer diversos benefícios fundamentais para o crescimento e para a solidificação da empresa no mercado.

Continue a leitura e confira 7 motivos para adotar a gestão de fornecedores em sua loja!

1. A empresa ganha vantagem competitiva

A gestão de fornecedores tem como objetivo fazer a seleção, avaliação e homologação de fornecedores com eficiência, além de manter cadastros e bancos de dados que servem para analisar e implementar melhorias nas negociações.

Com isso, a empresa acaba ganhando vantagens competitivas e ofertando produtos de qualidade, com bons preços e dentro dos prazos. Como essas são características importantes para obter uma competitividade no mundo dos negócios, pode-se dizer que a implementação desse tipo de gestão pode destacar a empresa das demais.

2. O poder de negociação é maior

Quando se tem à disposição bons fornecedores, é possível negociar mais, confrontando valores entre as empresas concorrentes e obtendo vantagens. No entanto, é muito importante realizar as negociações sem deixar de levar em consideração as necessidades da outra parte.

A negociação ganha-ganha é a mais indicada, justamente porque a parceria entre as empresas só traz vantagens. De um lado, há a satisfação do comprador e, do outro, a satisfação do fornecedor por ter um cliente que compreende suas limitações.

3. Há uma redução de custos

Um bom relacionamento com os fornecedores pode ocasionar em acordos que reduzam os preços praticados. O foco é sempre diminuir os custos das operações, mas é preciso ter em mente que a estratégia de redução não deve afetar a qualidade dos produtos ou impactar demais nos prazos de entrega.

Lembre-se do ditado que diz que “o barato pode sair caro”. Produtos de pouca qualidade ou a falta de itens no estoque pode causar a perda de clientes, que nem sempre é tão fácil de ser revertida.

4. O produto é mais valorizado

Bons fornecedores, consequentemente, resultam em bons produtos ofertados, além de uma valorização que pode vir atrelada ao nome da marca adquirida. Escolher o fornecedor pode enriquecer não somente um produto, como também outras mercadorias da loja.

Isso porque, quando o cliente gosta e confia nos produtos vendidos, ele volta para adquirir outros e desenvolve uma relação de confiança.

5. O risco da falta de produto é menor

O departamento de compras entende bem que a falta de produtos pode ser um desastre para a empresa. Sem mercadorias, perdem-se vendas e os clientes podem parar na concorrência. Quando é feita a gestão de fornecedores, o risco de que essa situação ocorra é muito baixo.

Primeiro porque a seleção dos fornecedores será feita de forma criteriosa. Além disso, na falta de um fornecedor, é possível entrar em contato com outros que possam entregar os produtos necessários.

6. O relacionamento com os fornecedores é beneficiado

Se a parceria é benéfica para os dois lados, os fornecedores farão esforço para mantê-la e será mais fácil contar com uma proximidade maior para ser atendido de forma personalizada quando for necessário.

7. É possível colocá-la em prática utilizando as estratégias adequadas

Se você acha que adotar a gestão de fornecedores é algo complicado, está enganado. Na verdade, com algumas estratégias aplicadas na hora da seleção e gerenciamento, o gerenciamento pode ser feito de maneira eficiente. Listamos algumas delas para facilitar.

Seleção criteriosa

A seleção é uma das partes mais importantes da gestão, já que ela é o primeiro passo para começar a reunir fornecedores que trarão bons resultados no futuro. Algumas características devem ser analisadas para que os melhores fornecedores sejam selecionados. Entre elas, estão:

  • qualidade dos produtos;
  • habilidade técnica e cumprimento das especificações;
  • bom custo-benefício;
  • localização estratégica;
  • boa reputação no mercado;
  • bom atendimento e possibilidade de realizar reposições quando for preciso.

Depois de selecionar os fornecedores de acordo com as características citadas — e outras, quando necessário — é o momento de realizar a homologação.

Alinhamento de processos

Após cumprir o passo acima, é importante saber que o trabalho não terminou. Ainda é preciso alinhar os processos, de modo que ambos expliquem as necessidades e expectativas obtidas com a parceria. Manter os processos alinhados também ajuda a reduzir falhas e evitar problemas que podem prejudicar os processos internos da empresa.

Monitoramento de custos

Os custos devem ser sempre acompanhados de perto, para analisar se eles estão sendo praticados de forma adequada, sempre realizando a comparação com base no valor do serviço e produto oferecido.

A lucratividade está diretamente relacionada a esse fator, visto que quando maior o custo da operação, menores serão os lucros.

Acompanhamento de indicadores de desempenho

Medir e acompanhar o desempenho dos fornecedores é uma forma de identificar quais as falhas e saber como evitá-las, além de tomar conhecimento do quanto elas podem prejudicar os processos internos da loja.

Algumas métricas interessantes para acompanhar são os custos, a qualidade do serviço, o atendimento e falhas, como extravios, pedidos trocados e avarias. Para que sejam feitas de forma eficiente, crie métricas de acordo com as necessidades da empresa e das estratégias que foram definidas.

Adotar políticas de benefícios, premiando os parceiros quando o desempenho for satisfatório, pode trazer bons resultados. O mesmo vale para penalidades, que podem ser aplicadas quando os itens acordados não sejam cumpridos — lembrando que elas devem constar no contrato.

Prioridade aos interesses da empresa

O relacionamento com os fornecedores pode aumentar a possibilidade de boas negociações, condições de pagamento e desenvolvimento do setor de compras de modo geral. Ainda assim, é importante saber identificar quando o fornecedor não está atendendo a empresa de forma satisfatória ou mesmo quando não está cumprindo com o que foi acordado.

Os interesses da empresa devem ser prioridade e, nesses casos, é importante ter um novo contato para esclarecer tais pontos e verificar a possibilidade de dar prosseguimento com a parceria ou não.

Adotar gestão de fornecedores, de fato, requer um trabalho contínuo. Porém, os resultados poderão ser percebidos gradativamente e, tanto a loja quanto o fornecedor, são beneficiados.

Se você ainda ficou com alguma dúvida ou deseja saber mais sobre o tema, confira o artigo que fizemos sobre tudo o que você precisa saber sobre a gestão de fornecedores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *