Curva ABC: saiba como fazer e como ela melhora seu estoque!

“Enfim consegui elevar minha gestão empresarial a um nível satisfatório e eficiente. Porém, ainda tenho problemas com meu estoque!”. Se você costuma dizer essa frase, precisamos avisá-lo que algo nela não faz sentido: administrar o estoque é essencial para o sucesso de uma empresa. Mas, como conseguir dar conta de uma tarefa que parece tão complexa? Por meio da Curva ABC!

Esse é um conceito que pode parecer complicado à primeira vista, mas que se torna bem simples quando se compreende seus princípios. A Curva ABC, baseada no Teorema de Pareto, é uma grande aliada na gestão do estoque e de clientes.

Quer conhecer mais sobre o assunto? Então não perca mais tempo e vamos lá!

O que é a Curva ABC?

A Curva ABC é uma ferramenta que possibilita a identificação e classificação dos itens com maior relevância e valor agregado no estoque da empresa.

Ou seja, esse é um método utilizado para fazer o ranqueamento dos materiais estocados, identificando qual a parcela desses que entrega mais lucro para a empresa. O objetivo principal é apontar quais itens são os mais importantes.

Como já dissemos, esse conceito de baseia no Princípio de Pareto, qual seja: 80% das consequências advêm de 20% das causas. Fazendo uma analogia com uma empresa, chega-se à premissa de que uma pequena parcela dos produtos representa a maior parte dos lucros organizacionais.

A partir disso, utiliza-se a regra 80/20 para fazer uma análise e determinar quais os pontos merecem atenção especial na gestão empresarial. As letras ABC representam a classificação do fator, e a curva seus respectivos percentuais.

Vejamos mais sobre como funciona a curva abc no próximo tópico!

Como usar essa técnica em minha empresa?

Como já dizemos, a técnica 80/20 é usada para classificar os produtos em estoque na empresa. Essa categorização é realizada da seguinte maneira.

  • Classe A: nela se encaixam os produtos mais relevantes do estoque, ou seja, aqueles 20% que representam 80% dos lucros na empresa. Devido a isso, eles merecem atenção especial — inclusive métodos de controle diferenciados.

  • Classe B: nessa categoria estão os materiais que merecem atenção intermediária, ou seja, que possuem um valor relevante, mas não tão significativo como os da classe A. Em geral, são itens que representam 30% do estoque e 15% do total armazenado.

  • Classe C: esses são os produtos que não merecem tanta atenção, pois sua prioridade é reduzida, já que o impacto econômico para a empresa é pequeno. São 50% dos materiais armazenados e correspondem a 5% do valor.

Em geral, a Curva ABC é desenhada em softwares específicos para esse tipo de gráfico — como o Excel e o Lindo, por exemplo. Porém, para que a técnica 80/20 funcione corretamente, é necessário alinhar de maneira coerente os dados.

Primeiramente, deve-se listar todos os produtos, apresentando o valor unitário de cada um, qual a quantidade vendida e o valor total por produto — esse último pode ser obtido por meio da multiplicação entre o valor unitário e a quantidade do item.

A partir daí, deve-se verificar qual o percentual de cada um dos materiais nas vendas da empresa, fazendo a divisão do valor total do item pela quantidade de vendas do mesmo.

Após isso, você já terá o percentual participativo de cada produto, podendo, posteriormente, somar esse valor ao total obtido anteriormente e obter a porcentagem acumulada de cada item.

Pronto! Com os dados em mãos, você já pode fazer a classificação:

  • produtos classe A — correspondem a 80% das vendas;

  • produtos classe B — correspondem a 15% das vendas;

  • produtos classe C — correspondem a 5% das vendas.

Com esses percentuais, você só precisa plotar o gráfico no software — use a tecnologia a seu favor. Com a Curva ABC pronta, fica fácil compreender a importância de cada produto nas vendas, no estoque e no orçamento da empresa.

Vale ressaltar: o período usado para fazer a análise da representação dos produtos varia de acordo com as necessidades da empresa — pode ser mensal, quinzenal, semanal ou até mesmo diário.

Como posso implementar a Curva ABC em meu negócio?

Agora que você já conhece a importância da Curva ABC, que tal conhecer algumas dicas de como implementá-la na sua empresa? Então, vamos lá!

Classifique os itens

Como classificar os itens? Primeiramente, é necessário fazer uma listagem de todos os produtos, com a quantidade em estoque, preço por unidade e seu valor total — integrar é preciso.

Com essa classificação, fica simples compreender se o seu estoque está coerente com suas necessidades, além de verificar quais itens estão sendo armazenados em maior número ou quais são aqueles que possuem uma demanda pequena com relação a sua quantidade.

E não para por aí: com essa categorização você pode compreender qual o grau de dependência e qual o risco que a falta de um determinado item pode representar, especialmente com relação a clientes potenciais.

Faça aquisições assertivas

Qual a relação desse tópico com a implementação da curva abc? Imagine que seus itens já estão categorizados, será muito mais fácil compreender qual a relação desses produtos com a demanda, concorda?

É nesse momento que você deve se atentar ao montante das vendas realizadas, pois essa é uma atitude que reduz o índice de rupturas, já que eles ocorrem quando a venda não é realizada pela falta de algum produto no estoque.

Busque analisar também qual o índice dos materiais em excesso no estoque, verificando quais os motivos que levaram à estagnação destes, evitando, dessa maneira, a perecibilidade ou obsolescência.

Conheça sua previsão de demanda

A Curva ABC não trata somente da categorização dos produtos, mas também se relaciona diretamente com o giro de materiais mais eficiente, pois as análises permitem um melhor direcionamento do setor de compras, que adquire o produto em quantidades precisas.

Por isso, se torna tão importante classificar e fazer a verificação dos itens. Permitindo, dessa maneira, que se compreenda a demanda e se tenha recursos para atendê-la.

Percebeu como a Curva ABC pode ajudar na otimização do seu controle de estoque? Além de possibilitar que você tenha um mix de produtos adequado para sua demanda, a análise 80/20 evita erros comuns, como a falta ou o excesso de produtos.

Gostou do nosso conteúdo? Então compartilhe esse conteúdo nas suas redes sociais e espalhe informação útil para seus amigos!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *